top of page

O que é o lipidoma?

Atualizado: 20 de mai. de 2023

O lipidoma pode ser definido como o conjunto de lipídeos que compõem um tecido, uma célula, uma organela, ou corpos lipídicos como lipoproteínas ou vesículas extracelulares.

De acordo com o site do consórcio Lipid Maps (www.lipidmaps.org), os lipídeos podem ser classificados em 8 grandes classes baseado nas similaridades de suas estruturas químicas. Dentre esses, destacam-se os fosfolipídeos, esfingolipídeos, ácidos graxos, glicerolipídeos e esteróis. Estima-se que a diversidade de formas pode chegar na casa de dezenas de milhares de lipídeos.

Além disso, os lipídeos podem ser classificados de acordo com suas funções biológicas em duas categorias principais: lipídeos de membrana e de armazenamento. Lipídeos de membrana são representados por glicero-fosfolipídeos e -glicolipídeos, além de esfinglipídeos. Dentre os lipídeos de armazenamento destacam-se os triglicerídeos e ésteres de esteróis.


Estrutura geral dos lipídeos e características físico-químicas

Dependendo do sistema biológico, os ácidos graxos livres podem representar um abundante grupo de lipídeos, e assim como os diglicerídeos são intermediários na síntese e degradação de fosfolipídeos, glicolipídeos e/ou triglicerídeos. Existem ainda outros lipídeos "livres" que desempenham desde funções estruturais como o colesterol ou que adicionalmente possuem papel antioxidante como o tocoferol e carotenóides, até aqueles que participam no transporte de elétrons ao nível de membrana como no caso da coenzima Q.


Bi-camada lipídica composta por lipídeos de membrana e outras moléculas associadas como carotenóides

Em geral, os lipídeos são hidrofóbicos e estão organizados em uma bicamada lipídica, como nas membranas celulares, ou envoltos por uma monocamada lipídica, como no caso dos lipídeos de armazenamento em "lipid droplets" ou lipoproteínas. Entretanto, diversos processos celulares fazem com que alguns lipídeos se tornem mais polares ou hidrofílicos, e estes então adquirem caráter de lipídeos sinalizadores. Por exemplo, lipídeos de membrana podem ser oxidados dando origem aos "lipid whiskers", quando a cadeia de ácido graxo oxidado deixa o plano natural de bicamada em direção a fase aquosa.


Processos de oxidação radicalar ou enzimática dão origem a ácidos graxos oxidados que se tornam mais polares e amplamente hidrofílicos em comparação aos seus precursores. Lisofosfolipídeos, compostos gerados comumente pela ação de fosfolipase A2 e caracterizados por conter uma única cadeia de ácido graxo, e esfingosina-1-fosfato (gerada no processo de reciclagem de esfinglipídeos) são outros exemplos de moléculas lipídicas que ganham carácter mais polar quando transformadas.


Peroxidação lipídica via radical hidroxila representado pelo círculo azul na ligação bis-alílica de uma cadeia de ácido graxo poli-insaturado

Portanto é possível afirmar que a diversidade de formas dos lipídeos implica diretamente em distintas funções e consequentemente a determinação precisa da estrutura molecular é essencial na elucidação de processos biológicos.


A PinguisLab tem como foco a excelência na identificação e quantificação precisa de lipídeos, gerando dados ideais para busca por biomarcadores e descoberta de mecanismos moleculares.


Se você gostou dessa leitura, deixe seus comentários e/ou sugestões para assuntos de seu interesse. Venha conhecer mais sobre nossos serviços através de nosso website e agende uma reunião conosco.


Na PinguisLab, os lipídeos contam a história!



0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page